sexta-feira, 17 de janeiro de 2014

Oh...

Oh conforto, o inexprimível conforto, de nos sentirmos seguros com alguém, não temos de pesar os pensamentos nem medir as palavras, mas deita-los.
todos fora tais quais são, palha e grão juntamente, sabendo q uma mão leal os há de atalhar e tolerar guardando o que vale a pena guardar,e depois, com o sopro da bondade, deitar a resta fora.


Nenhum comentário: