terça-feira, 20 de julho de 2010

Eternamente sua.

Meus olhos não acreditaram quando te vi,

Apesar do meu corpo já saber que te queria
Apesar da minha boca há muito chamar por ti
Invadiste meu íntimo particular com sabedoria
E correspondeste ao teu desejo por mim.
Pensei que só eu sentisse vontade de você,
Mas quando seu perfume suave e marcante,
Misturou-se ao cheiro do meu, apaixonante,
Nossos corpos tornaram-se um único ser
E nessa noite fui eternamente sua mulher.

Quando nossos laços entrelaçaram-se
E todos os nós num gesto desataram-se,
Fomos dois num só, completando-se.

Eu, sem você, não me sinto inteira,
Um todo sem sua outra metade
Buscando a plena felicidade.

2 comentários:

Pam disse...

Lindo texto *-*
Eu adorei!!

Jhessyka disse...

valeu...