sexta-feira, 20 de novembro de 2009

"..."


"....A vida é uma juíza poderosa! Permissiva nas mesmas proporções em que é devastadora, aceita que vivamos nossos amores, dissabores e escolhas desde que cedo ou tarde, paguemos o preço cobrado por ela. Alto, quase sempre. Portanto, é preciso que saibamos as medidas exatas das coisas e o custo benefício de cada ato, cada presente e cada entrega. É preciso ainda que possamos amar sem pretensão alguma, mesmo quando o egoísmo nos dita regras, constantemente. Que ao despirmos a nossa alma das máscaras e dos valores mundanos, possamos ser seres humanos simplesmente, exercitando livre e verdadeiramente, nossa capacidade de amar. É preciso que estejamos receptivos à todos os sinais, pra podermos assimilar o que pode doer ou fazer rir, exercitar o direito de ir e vir e administrar isso tudo, dentro das nossas possibilidades. E que nos lembremos diante de cada adversidade, da capacidade que cada um de nós tem prá superar, caminhar em frente e viver esse amor. Encontrar caminhos, enfim, dentro das nossas verdades. É preciso que saibamos seduzir, pra falarmos sobre coisas sérias sem nenhuma sensualidade. Que saibamos nos dar sem cobrar ou esperar algum prêmio, por isso. Que respeitemos o espaço do outro sem a pretensão de conhecer ou administrar a extensão do mesmo. Mas é preciso, mais do que qualquer coisa, que nos achemos merecedores da alegria e do amor que estão disponíveis, bem ali à nossa espera. Que consigamos encontrá-lo e, acima de tudo que possamos vivê-lo de maneira plena; sem culpa...
Porque ser feliz é um poderoso aprendizado...
E um eterno merecimento!"

Nenhum comentário: